A Poesia de Fernando Kafukeno

Envie este artigo por email

Fernando Kafukeno

No baloiço da manhã

(se a cor
da ilha de Luanda namora a traça
da tua saia)
o beija-flor
alimenta-se da tua flora
e a infinita violeta lambe a espada
a nuvem da prata ilude a traça
na manhã do teu baloiço

A doçura dos teus lábios

hoje vou enviar-te um poema pela brisa
hás-de recebê-lo
na porta número 69 da rua jota
o poema cantará
o sol dos teus olhos e falará aos pássaros
a doçura do bairro operário
e mais nos teus lábios a
candura da tua voz será o poema
hoje vou e enviar-te um poema pela brisa

Comentários

Newsletter


Colabore com o Jornal Cultura - Envie-nos os artigos da sua autoria.

Colaboradores Ver todos