Primavera dos poetas. JIHAD 

Envie este artigo por email

Primaveira dos poetas

Primaveira dos poetas.JIHAD
Primaveira dos poetas.JIHAD

Triste é a época
Opaca e glauca
No século das luzes apagadas
A humanidade naufraga
Na penumbra mortífera
Meu irmão
Onde estão os Homens?
Sim, onde estão os Homens,
De paz, de bens, de laços?
Monstros mediáticos
Decapitam as nossas esperanças
Matam-nos
Assassinam-nos
Por qualquer coisa
Uma terra, o engodo do poder e do lucro
E mesmo em nome de Deuses
Supostamente justos e misericordiosos
Os insensatos matam-nos
Assassinam-nos
Nos quatro cantos
Do globo
Com ou sem
Razão
O sangue
Corre
Sobre o mundo

Onde estão os Homens
De paz, de bens, de laços?
Sim, onde estão os Homens?

Nós estamos em guerra
É a jihad
Contra nós mesmos
Contra os nossos sonhos
Então que chovam os poemas
Mas o que podem os poemas?

Nada

A não ser chamar-nos
À ordem de nós mesmos
E da nossa humanidade frágil
O que podem os poemas ?

Nada, e é já muito

Alguns pregam e semeiam
A destruição, a divisão
O caos
E a morte
Outros, os poetas, cantam ainda
A vida, a união
A revolta
E o amor

Para sempre
Os poetas soam
O alarme
A jihad
Contra o abjecto
A barbárie
E a vulgaridade do mundo

A POESIA É « TALVEZ A MELHOR MANEIRA DE COMUNICAR COM O ÍNTIMO, O INVISÍVEL E OS OUTROS" (1).
(1) Citação de Yanick Lahens. Excerto do vídeo “ Para que serve a poesia?  "Para que serve a literatura? "

Comentários

Newsletter


Colabore com o Jornal Cultura - Envie-nos os artigos da sua autoria.

Colaboradores Ver todos