CDC Angola apresenta peça sobre a condição humana

Envie este artigo por email

“Ceci N´est pas une porte"

CDC Angola apresenta peça  sobre condição humana
Fotografia: Rui Tavares

No ano em que celebra o seu 25º Aniversário, a Companhia de Dança Contemporânea de Angola apresenta, na sua Temporada de 2016, CECI N’EST PAS UNE PORTE, uma peça sobre a condição humana, as suas fobias e prisões psicológicas. Esta peça, que é também um protesto pela falta de teatros em Luanda, é um hino ao surrealismo, ao caos e à hipocrisia em que vive mergulhado um mundo em que, cada vez mais, o que se vê não é o que aparenta ser. Dentro de caixas os bailarinos disputam o espaço, pretendendo dizer: “Isto não é um teatro! As caixas não são uma janela. E a porta não é o que aparenta ser. A sobrevivência é um facto!”
Com coreografia de Ana Clara Guerra Marques e Nuno Guimarães, esta obra tem vindo a ser apresentada no Camões-Centro Cultural Português, desde 16 de Junho e prolongar-se-ão até ao dia 26 de Junho, pelas 19.30 H (de 5ª a Sábado) e 18.30 H (Domingos).
Os espectáculos são classificados para maiores de 12 anos.
Recordamos que a CDC Angola, companhia à qual se deve a grande transformação do panorama da dança em Angola, foi fundada em 1991, é membro do Conselho Internacional da Dança da UNESCO, possui um historial de centenas de espectáculos apresentados em Angola e no exterior, com cerca de 26 obras originais e já actuou em mais de 15 países em todos os continentes, sendo hoje a referência da dança cénica angolana no estrangeiro.

Comentários

Newsletter


Colabore com o Jornal Cultura - Envie-nos os artigos da sua autoria.

Colaboradores Ver todos