“É prioritário haver um Teatro Nacional”

Envie este artigo por email

“Ainda falta maior cultura nos intervenientes do teatro. Falta conhecimento do teatro mundial e da estrutura dramática universal. Há ainda um grande caminho a percorrer”

Teve uma das interpretações menos atípicas e mais bem conseguidas do filme "Njinga- Rainha de Angola". Orlando Sérgio é uma daquelas personalidades do teatro que muito satisfatoriamente atinge a personagem.

De ideias fortes, critica os grupos de teatro que ainda se fazem presas "tranquilas" das tendências das últimas três décadas por não perceberem que a realidade estética é dinâmica.

De Malange, sai com três anos e só volta aos dezassete. E lembra que fazia por lá umas viagens de comboio. Voltou de comboio, e sozinho. Mas Malange, o que tem é mais das pessoas de lá, pelo gosto repartido do funge de bombó com mengeleka.

Pelo modo elevadamente natural como aborda as suas interpretações, nutre grande estima pelo actor britânico Anthony Hopkins, que conseguiu interpretar de forma desigual o Dr. HYPERLINK "http://pt.wikipedia.org/wiki/Hannibal_Lecter" \o "Hannibal Lecter" Hannibal Lecter no aclamado filme " .

O espectáculo "Os Bichos", da companhia portuguesa Bando ­ que já assistiu várias vezes em vários lugares, é o seu preferido até agora.

Com a peça "Quem me Dera Ser Onda" foi considerado o melhor actor de 2001. Desta peça, lembra: "O texto é prestável. O espectáculo foi muito alegre. Eram ainda tempos de guerra e não era fácil, tudo era possível, até a luz ir a meio do espectáculo. A encenação foi feita em Lisboa e depois remontada em Luanda, no Elinga".

A participação em "Conversas no Quintal" também é outro grande marco. Foi, portanto, a série que o abriu ao grande público angolano, tanto que ainda nos dias que correm o actor é por várias vezes chamado de Moisés Adão, o "boss do quintal".

Os nomes de Miguel Hurst e Raúl do Rosário aparecem sempre no seu trajecto. Em 2010 acontece a peça O Silêncio dos Inocentes" "Vamos lá visitar o Rui", que considerou ser "um espectáculo muito formal". Depois "Woza Albert", uma peça emblemática sul-africana em que actua com Raúl do Rosário.

Tentou também os projectos Mukange, que por razões de más condições do Cine Teatro Nacional não foram levados a cabo. "Minha Terra, Minha Mãe" foi a grande primeira novela em que actua. Deu para aprender e ter as condições que um actor merecia e adaptar-se a um ritmo de trabalho de uma indústria exigente como a dramaturgia brasileira, em que o actor tem que estar sempre preparado para responder.

Comentários

Newsletter


Colabore com o Jornal Cultura - Envie-nos os artigos da sua autoria.

Colaboradores Ver todos