Jihenda de Mamukueno "Um museu cultural"

Envie este artigo por email

O músico Mamukueno faleceu na noite de sábado, dia 23 de Agosto, em Luanda, vítima de doença.

Jihenda de Mamukueno
O cantor Mamukueno

 Compositor e intérprete, Mamukueno é um dos músicos que ao longo da sua carreira artística deu o melhor de si em prol da afirmação do cancioneiro angolano, destacando-se as suas qualidades de compositor e a sua disponibilidade para colaborar e ajudar na afirmação das
novas gerações no mercado musical angolano. O músico Mamukueno, nome artístico de José Matias, apresentou em 2009 “Tambuleno”, um álbum de semba que contou com a participação dos músicos Caló Pascoal, Pedrito, Betinho Feijó, Joãozinho Morgado e Chalita, produzido pela “Xikote Produções”.
Mamukueno nasceu a 5 de Outubro de 1946, em Luanda, onde iniciou a sua carreira musical. A sua primeira aparição em público aconteceu em 1966, na altura como vocalista principal do grupo “Estrela Negra”, que era composto pelos músicos Paixão (El Óscar), Paquete e Arnaldo Van-Dúnem (Cascadura).
É igualmente autor dos discos “Memórias de Mamukueno” (2005) e “Ezakungiambela” (2006).
Uma nota da ANGOP, datada de 26 Agosto, fa eco das qualidades do malogrado cantor, pronunciadas por cidadãos em Ndalatando.
Na ronda efectuada pela Angop, a propósito da morte do músico Mamamukueno, “os cidadãos destacaram as qualidades artísticas do malogrado
em prol do desenvolvimento e preservação dos estilos de músicas originárias de Angola, sobretudo o rítimo semba de que o artista era referência.
O jornalista da TPA, António Mafumba disse que acompanhava com muita atenção a carreira artística de Mamukueno, tendo considerado o músico como um museu cultural e que a sua morte constitui uma perda irreparável para a cultura angolana.
Adiantou que Mamukueno contribuiu para a preservação da língua nacional Kimbundu pelo facto das suas composições serem cantadas nesta língua.
Por seu turno, o cidadão Abraão João considerou Mamukueno como homem de cultura que sempre se mostrou disponível para trabalhar com a juventude para lhes transmitir a sua experiência, além de deleitar os angolanos e cidadãos de outras nações com as suas belas músicas.
Bonifácio da Cunha, oficial da polícia Nacional lamentou a morte prematura do artista e disse que Mamukueno será uma figura inesquecível para os angolanos pelo facto de contribuir para a preservação da cultura nacional, através da canção evidenciada no estilo semba, cantadas maioritariamente na língua nacional Kimbundu.
José Matias "Mamukueno" editou os discos "Memória de Mamukueno" (2005) e "Ezakungiamba" (2006). Em 2009, gravou o CD Tambuleno. A sua
primeira aparição em público aconteceu em 1966, como vocalista principal do grupo "Estrela Negra". O seu último disco, "Nga Sakidila", saiu a público em 2013.”

Comentários

Newsletter


Colabore com o Jornal Cultura - Envie-nos os artigos da sua autoria.

Colaboradores Ver todos