Muximangola Bonga recorda Angola 72

Envie este artigo por email

Memoráveis são as categorizadas almoçaradas, acompanhadas das agradáveis notas musicais, que o Centro Cultural e Recreativo MUXIMANGOLA, situado no Jardim do Éden na comuna da KAMAMA, município de Viana, proporciona aos seus inúmeros convidados para celebrarem as belas e maravilhosas tardes de domingo.

Muximangola  Bonga recorda  Angola 72
Muximangola Bonga recorda Angola 72 Fotografia: Paulino Damião

No Domingo, dia 21 de Setembro de 2014, com início rigoroso às 12 horas, começaram a ingressar no seu recinto de festas os integrantes da comunidade dos foliões, componentes de uma significativa elite africana e angolana no seu particular, que aos poucos iam emoldurando na totalidade as cercas de 50 mesas de acordo com as reservas antecipadamente efectuadas.
Com um salão bastante acomodativo pela singularidade e riqueza estética dos seus móveis, suas mesas e cadeiras, cortinados e outros apetrechos simbolizando a ornamentação e decoração do recinto, o centro tem um ambiente requintado para satisfação e deleite dos seus inúmeros frequentadores e outros convidados. O almoço, que se prolonga pela tarde toda até mesmo aos prenúncios da noite convidativa para outros momentos de entusiástica recreação, é composto de várias iguarias alimentares onde não escapa uma elegante e entusiasmante cesta de variados kitutes da terra expostos à boa maneira africana.
O cardápio musical foi preenchido de muito boa música internacional salientando-se cerca de mais de 80% da música angolana de sempre.
O espectáculo foi aberto com uma belíssima e interessante actuação do grupo musical de características tradicionais, SEMBA MUXIMA. Este grupo foi deleitando os presentes com a sinfonia da sua musicalidade assente em diferentes ritmos ilustrados com os exorcismos corporais das suas elegantes e simpáticas dançarinas. Contou com a exibição da banda da casa, a Banda Yetu, que interpretou músicas de consagrados cantores angolanos do passado e do presente e acompanhou o próprio dono do empreendimento cultural, o cantor angolano FIEL DIDI e o grande convidado do dia, o incontornável e indiscutível embaixador da música angolana de raiz, o cantor angolano BONGA KWENDA, o consagrado Barceló de Carvalho.
Com a sala toda ao rubro, Bonga passeou o charme da sua voz empolgante de arrepiar os corações. Naqueles momentos de dolência, Bonga mostrou a sua estimulante experiência de cantor inconfundível pela sensual, cálida e melodiosa composição, recordando as canções do seu primeiro álbum discográfico, Angola 72.
Desde o semba de roda, a kabetula, a dizanda, a kazukuta, a ngimba e dos variados ritmos de adopção, até a maravilha dos seus lamentos e as danças do carnaval luandense, Bonga levou ao delírio os convivas dessa memorável tarde de domingo no recinto do Centro Cultural MUXIMANGOLA, um espaço de referência da cultura popular.
A tardinha virou, porque chegou a noite, e ainda o Bonga contribuía para formalizar a opinião de que “Semba qué é semba” mesmo, só com a geração dos 70 anos para atrás.
Uma referência indissociável da grande e pomposa participação de Bonga nesta actividade da tarde do MUXIMANGOLA constitui a presença inconfundível de Betinho Feijó, uma grande viola para a tamanha dimensão do artista da noite.
Luanda, aos 22 de Setembro de 2014

XIKUAMBI DA COSTA

Comentários

Newsletter


Colabore com o Jornal Cultura - Envie-nos os artigos da sua autoria.

Colaboradores Ver todos