Primeiro filme animado em línguas nacionais em África

Envie este artigo por email

O objectivo é não só incentivar à leitura como também ao trabalho de interpretação de textos em diversos dialectos angolanos.

Primeiro filme  animado em línguas nacionais em África

No Dia Internacional do Livro Infantil, 2 de Abril, foi lançado o projecto "Fábulas de Angola" na Casa de Cultura de Angola Malta da Paz e da Alegria. A acção contou com a apresentação ao público do primeiro filme animado, (em 2D) em línguas nacionais realizado em África – “Dudu, O Menino que Queria Ver o Mar”.
O filme foi realizado em Angola por profissionais especializados, sendo que já estão a ser trabalhados mais dois das fábulas já editadas: “Bangão, O Mensageiro Trapalhão” e “As Sementes Mágicas”, que serão lançados ainda este ano.
Este projecto é um importante acto de valorização da cultura angolana, porque resgata as línguas nacionais do País, que passam a ser ensinadas nas escolas (ensino primário) através de histórias e filmes educativos. As “Fábulas de Angola” trarão de volta os sonhos, as aventuras e os heróis contidos nas histórias, estimulando o desenvolvimento social, cultural e psicológico das crianças angolanas.
O objectivo é não só incentivar à leitura como também ao trabalho de interpretação de textos em diversos dialectos angolanos. Isso torna o projecto “Fábulas de Angola” um projecto literário empreendedor, que de forma lúdica e criativa, resgata e promove a valorização da cultura e suas tradições, atingindo crianças que vivem nas mais diversas províncias.
Além de divertir, o objectivo das Fábulas de Angola é contribuir para um avanço nas aulas de Português, ampliar a informação e entretenimento das crianças e jovens, incentivar a leitura e interpretação de texto. Isso contribui para o crescimento dos alunos na perspectiva de leitura e análise crítica e, consequentemente na escrita de textos.
Angola possui uma enorme riqueza cultural: tradições, diversas etnias e na origem do povo Bantu. E como a criança angolana é carente de heróis, contadores de estórias, actividades lúdicas e produções literárias o projecto “Fábulas de Angola” se torna ainda mais importante na perspectiva de preservação desta vasta cultura angolana.
O Director Nacional do Ensino Geral, João Diogo Cristóvão Cafuquena que presidiu ao acto simbólico do lançamento do projecto, prestou declarações aos jornalistas, em conferência de imprensa, juntamente com o Director da Casa de Cultura de Angola, Malta da Paz e da Alegria, John Bella.
“Fábulas de Angola” é um projecto do Ministério da Educação desenvolvido em parceria com a empresa Marcove – Marketing, Comunicação e Vendas – trata-se de uma nova acção educacional, que visa contribuir com o processo didático-pedagógico dos professores e alunos, no estudo literário.
O projecto contempla dez fábulas traduzidas em sete línguas nacionais. Neste dia foram apresentadas as três fábulas já editadas em revista e vídeo: “Dudu, O Menino que Queria ver o Mar”, Bangão, O Mensageiro Trapalhão” e “As Sementes Mágicas”.
O evento contou com representantes da Casa Civil da República de Angola, do Ministério do Ensino Superior, Ministério da Juventude e Desportos, Ministério da Ciência e Tecnologia e outras entidades.

SOBRE AS FÁBULAS
DE ANGOLA

Estão a ser produzidas dez (10) fábulas com tiragem de 2.600.000 (dois milhões e seiscentas mil revistas) para ensino primário.
Todas as fábulas foram adaptadas do português para uma das sete línguas nacionais escolhidas: Cokwe; Kikongo; Kimbundu; Ngangela; Olunyaneka; Umbundu; Oshikwanyama.

Comentários

Newsletter


Colabore com o Jornal Cultura - Envie-nos os artigos da sua autoria.

Colaboradores Ver todos