Sérgio Piçarra pioneiro da BD angolana

Envie este artigo por email

Sérgio, iniciou a sua carreira com 14 anos.

Sérgio Piçarra pioneiro da BD angolana
Sérgio Piçarra

Sérgio Piçarra, homem do animado sobre a folha de papel, lançou a 20 de Maio no Espaço Cultural Chá de Caxinde duas colectâneas “Só vos olho já” e “Apreciando o cenário nas calmas”, que retratam assuntos ligados ao quotidiano nacional, tendo como conteúdos principais aspectos relacionados com a política, questões sociais e culturais.
“Apreciando o cenário nas calmas” é o reviver do “Man Kiko - O Imbumbável”, figura por si criada e que completou vinte cinco anos de existência. “Só vos olho já” recria cenários diversos, desde as dificuldades dos hospitais, a azáfama dos mercados, a corrida dos fiscais, os assaltos, as burlas e os candongueiros.
Piçarra iniciou a sua carreira com 14 anos, no Jornal de Angola, na página infantil, onde inseriu pela primeira vez o Man Kiko em 1990. Foi também neste ano que surgiram as primeiras bandas desenhadas coordenadas por Hanrique Abranches e tendo como parceiros Hugo Fernandes e Lito Silva.
O cartoonista lamenta andar excluído do festival anual Luanda Cartoon pelos seus organizadores, não sabe bem porquê. “Convidam outros autores, brasileiros, portugueses, mas não me convidam a mim…”
Sobre a qualidade das obras dos seus pares angolanos, SP diz que aquilo que aparece nos jornais demonstra pouca evolução em termos de estética e de conteúdo. “Não há formação de qualidade e falta humildade da parte dos próprios jovens”.
SP disse ainda ter vários projectos artísticos de BD que só “dependem de certos condicionalismos”, nomeadamente reconhecimento do valos crítico desta Arte para o desenvolvimento social e dos patrocínios dos Mecenas.

Comentários

Newsletter


Colabore com o Jornal Cultura - Envie-nos os artigos da sua autoria.

Colaboradores Ver todos