• ANA PAULA BERNARDO

    [paulabernardo09gmail.com] Investigadora do CLEPUL, (Centro de Literaturas e Culturas Lusófonas e Europeias da Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa), Grupo 2, Literaturas e Culturas Africanas de Língua Portuguesa, desenvolve há vários anos, entre outros, trabalhos de investigação sobre a vida e obra de Alda Lara.

    Além do estudo da sua poesia, tem tido a preocupação de resgatar marcas da presença desta escritora angolana na imprensa periódica em Portugal e Angola. Tem trabalhos publicados sobre a autora dos quais destacamos, “Em torno da poética de Alda Lara”, in Vozes de Cabo-Verde e de Angola, quatro percursos literários, Lisboa, CLEPUL, 2010, pp.165-213 ou “Alda Lara e a imprensa do seu tempo” in I

    Encontro Luso-Afro-Brasileiro: As mulheres e a imprensa periódica, FLUL, julho 2011, Lisboa, CLEPUL, 2013, pp. 44-60. Em “Visões do feminino: iridescências na poesia africana de língua portuguesa” in Ciências & Letras nº53, jan./jun. 2013, Porto Alegre, pp.75-94, disponível em

    Ler mais
  • ANTÓNIA DOMINGOS

    Antónia Manuela Miguelito Domingos é doutoranda no Curso de Literatura Portuguesa: Investigação e Ensino, Especialização em Literaturas Africanas de Língua Portuguesa, na Faculdade de Letras da Universidade de Coimbra.

  • ANTÓNIO FONSECA

  • ANTÓNIO GONÇALVES

    Nasceu em Luanda. É gestor hoteleiro. Frequentou o curso de linguística no ISCED de Luanda, opção língua portuguesa.

    Foi secretário geral da União dos Escritores Angolanos. Grande parte da sua obra literária foi editada em Cuba, onde durante dez anos exerceu a função de conselheiro cultural da embaixada de Angola.

    É membro da União de Escritores e Artistas de Cuba e da organização Poetas do Mundo. Faz parte de diversas antologias de poesia editadas em Angola e no estrangeiro, com destaque para as seguintes: "Palavras do mundo" da coleção sul da união de escritores e artistas de Cuba; antologia da poesia universal contemporânea (poetas para o séc. XXI) organizada em Espanha em 2010; IV antologia de poetas lusófonos editada em Leiria (Portugal em 2011).

    Da sua obra poética destacam-se as trilogias "Buscando o homem" de 2000 e "Umbral de transmutações", Cuba 2010 e os livros "A quinta estação do tempo" (Espanhol) Venezuela 2007, "Emosentidos" (espanhol) Costa Rica 2011 e "Canto misterioso que me acena com os pés" de 2011. Faz parte da Antologia em Espanhol "Arcoiris negro, yo también canto a América" publicada em Cuba no ano 2012.

    Ler mais
  • ANTÔNIO MOURA

    Antônio Moura nasceu em Belém do Pará, em 1963, onde ainda reside e trabalha.

    Poeta, letrista, roteirista de cinema e vídeo. Publicous as coletâneas Dez (1997), Hong Kong & Outros Poemas (1999) e Rio Silêncio (2004).


    Ler mais
  • ANTÓNIO OLE

  • ARJAGO

    Arjago, anagrama de Armindo Jaime Gomes, natural do Kamundongo-Kwitu, membro da União dos Escritores de Angola desde 1998, iniciado pela Brigada Jovem de Literatura de Angola em 1987.

    Conta com inúmeras publicações sistemáticas de artigos e comunicações de índole sociocultural de Angola, com particular realce sobre a província de Benguela onde atualmente residente como académico-pesquisador.

    Tem publicado entre outros títulos, os seguintes livros: "Crepúsculo Matutino" (poesia), BJLA, 1990; "Noites por Dia" (poesia): INALD, Prémio Literário Nacional "António Jacinto" 1998; "Epata L'Usoma ­ Apontamentos Etno-históricos Ovimbundu", edição do autor, (ensaio) 2000; "Os Sobas ­ Apontamentos Etno-históricos Ovimbundu de Benguela" (ensaio), 2003; "As Civilizações Lacustres das Margens do Kupololo", ensaio etno-histórico sobre Benguela, KAT ­ Empreendimentos e Consultoria, 2007.

    Participação em "Todos os Sonhos" ­ Antologia da poesia moderna de Adriano Botelho de Vasconcelos, 30 anos de literatura. UEA;

    Ler mais
  • ARLINDO BARBEITOS

    Nasceu a 24 de Dezembro de 1940, em Ikolo e Bengo.

    Fez estudos primários em Catete e Luanda. Na capital, frequentou o antigo colégio das Beiras e depois o Liceu Salvador Correia. Seguiu, em 1958, para Portugal para ingressar na Universidade. Cedo se converteu em membro da antiga Casa dos Estudantes do Império (C.E.I.) e ali se tornou militante do Movimento Anti-Colonialista (M.A.C.).

    Em 1961, escapou para Paris, onde se integrou nas fileiras do MPLA. De França, ainda em Setembro de 1961, partiu, já sob o mando daquele "movimento", para Frankfurt/Main, na Rep. Federal da Alemanha. De 1961 a 1963, trabalhou como operário braçal naquele grande centro económico e financeiro alemão, europeu e mundial.

    Em 1964, na J. Wolfgang Goethe Universitaet, iniciou o estudo de Sociologia, onde permaneceu até o Vordiplom (bachelerato) 1968. Então, nesse mesmo ano, encetou uma formação em Antropologia.

    Em 1971, regressou ao país e foi colocado como quadro do C.I.R (Centro de Instrução Revolucionária) nas zonas libertadas do Moxico. No princípio de 1973, provido de autorização superior, já de volta à Alemanha, agora em Berlim Ocidental, começou o tratamento de uma tuberculose e de outras sequelas de ferimentos adquiridos em combate em que participou na luta contra o colonialismo português.

    Interrompeu, em Setembro de 1975, a formação e a atividade docente em Berlim e veio para Luanda; integrado no Protocolo da Presidência da República Popular de Angola, trabalhou, por dois anos, como intérprete de alemão do Dr. Agostinho Neto;

    A 10 de Dezembro de 1975, tornou-se um dos escritores-fundadores da União dos Escritores Angolanos (U.E.A.). De imediato, em versão um tanto modificada da edição em português-alemão, saída na Holanda em 1974 , publicou-se em Luanda, o livro de poemas Angola, Angolê, Angolema. Em 1979, veio a público N'Zoji, 1991, chegou a vez de Fiapos de Sonho, por fim em 1998, em Lisboa foi editado o Na Leveza do Luar Crescente.

    Todos estes livros, de poesia, espelham, em forma transfigurada de metáfora poética, reflexões sobre diferentes fases da História de Angola - da luta de libertação, da independência, da revolução, do de conseguimento seguinte e da guerra civil. Em 1985, divulga, através do U.E.A., as estórias curtas de, O Rio - Estórias do Regresso.

    Em 2005, 2007, respetivamente em Lisboa e em Luanda, aparece o ensaio de filosofia política, A Sociedade Civil, Estado, Cidadão, Identidade em Angola. Numerosos poemas seus surgiram em diversas antologias, angolanas, portuguesas, brasileiras espanholas, italianas, francesas, alemãs, etc. A sua dissertação doutoral veio à luz, em versão original, em francês - Angola/Portugal: des identités coloniales équivoques. Historicité des représentations de soi et d'autrui, em 2008 em Paris.

    Esta tese resultou de uma longa e complexa investigação, que demorou mais de 6 anos, principiada em Luanda e prosseguida em arquivos portugueses. A tradução para o português foi publicada em Luanda, 2012, pela Editora Kilombe-Lombe.

    Ler mais
  • ARMINDO JAIME GOMES

  • ÁURIO QUICUNGA

    Escritor, actor e comunicólogo.

  • CARLOS FERREIRA

  • CARLOS HERNÁNDEZ SOT

  • CARMEN LUCIA TINDÓ SECCO

  • CHEIKH ANTA DIOP

  • CLEMENTE NDALA

Newsletter


Colabore com o Jornal Cultura - Envie-nos os artigos da sua autoria.

Colaboradores Ver todos