• FRANCISCO PEDRO

  • FRANCISCO REBELLO

    Francisco Montanha Rebello nasceu em Luanda, em 13 de Fevereiro de 1939.

    Começou os estudos no colégio interno no Monte Estoril, a partir dos oito anos de idade. Regressa a Luanda para fazer o 5º ano, que completa em Silva Porto, Cuito, fazendo depois, no Liceu
    Salvador Correia, os 6º , 7º e Admissão à Faculdade de Direito de Lisboa, que frequentou ingloriamente e sem interesse, até se retirar para Paris, onde se formou em Gestão de Empresas. Volta a Angola onde trabalha como Gestor e Empresário até regressar a Portugal, em 1975, onde se fixa. Retorna a Luanda em 2010, onde participa num projecto que muito o entusiasma.

    Ler mais
  • FREDERICO NINGI

  • GOCIANTE PATISSA

  • GRACILIANO RAMOS

    Graciliano Ramos considerado um dos mais importantes escritores do moderno romance brasileiro, nasceu no dia 27 de outubro de 1892, na cidade de Quebrangulo, sertão de Alagoas, filho primogénito dos dezasseis que teriam seus pais, Sebastião Ramos de Oliveira e Maria Amélia Ferro Ramos.

    Viveu a sua infância nas cidades de Viçosa, Palmeira dos Índios (AL) e Buíque (PE), sob o regime das secas e das surras que lhe eram aplicadas por seu pai, o que o fez alimentar, desde cedo, a ideia de que todas as relações humanas são regidas pela violência. Em seu livro autobiográfico "Infância", assim se referia a seus pais: "Um homem sério, de testa larga (...), dentes fortes, queixo rijo, fala tremenda; uma senhora enfezada, agressiva, ranzinza (...), olhos maus que em momentos de cólera se inflamavam com um brilho de loucura". Em 1894, a família muda-se para Buíque (PE), onde o escritor tem contacto com as primeiras letras. Em janeiro de 1953, é internado na Casa de Saúde e Maternidade S. Vitor, onde vem a falecer. É publicado o livro "Memórias do cárcere", que Graciliano não chegou a concluir, tendo ficado sem o capítulo final. Bibliografia: - Caetés - romance - São Bernardo - romance - Angústia - romance - Vidas secas - romance - Infância - memórias - Dois dedos - contos - Insônia - contos - Memórias do cárcere - memórias - Viagem - impressões sobre a Tcheco-Eslováquia e a URSS. - Linhas tortas - crônicas - Viventes das Alagoas - crônicas - Alexandre e outros irmãos (Histórias de Alexandre, A terra dos meninos pelados e Pequena história da República). - Cartas - correspondência pessoal.

    Ler mais
  • HORÁCIO DÁ MESQUITA

  • IEDA DE OLIVEIRA

    Ieda de Oliveira é escritora, compositora e pesquisadora. Nasceu no Rio de Janeiro.

    Fez pós-doutorado em Análise do Discurso. Apos carreira de 15 anos como professora universitária de Teoria da Literatura, deixou o magistério para se dedicar à ecrita e à música. Sua obra musical e literária é voltada ao público infanto-juvenil. Publicou "Emmanuela", "Bruxa e Fada Menina Encantada", "Cigarra e Formiga", "A Cobra e o Sábio", "O Sapo e o Pássaro", "O Espelho", "O Leão e o Macaco", "Rodrigo e os mile um dias", "Um toque de fadas", "A Saga de um Rei", O Raio da Positividade", "A Serpente de Olumo", "Raimishimbilim- O Mistério da Família Salles", "Contexto Sinistro, Histórias Fantásticas", "O Cheiro da Morte e outras histórias", "Cupira e Boiatá" (folclore em versos), "Brasileirinho" (livro e cd com músicas), "Viva o Reino da Terra" (teatro e música).

    Ler mais
  • INEKE PHAF-RHEINBERGER

  • IRACY CONCEIÇÃO DE SOUSA

    Iracy Conceição de Souza nasceu no Brasil, na cidade do Rio de Janeiro.

    É professora formada em Letras e Ciências Sociais, Mestre em Literatura Portuguesa (UERJ) e doutoranda em Letras Vernáculas pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ). É responsável executiva dO Marrare ­ revista de pós-graduação da Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UERJ) ­ e coordenadora da Benfazeja Revista Literária.

    Ler mais
  • ISAQUIEL CORI

  • ISMAEL MATEUS

  • J.A.S.LOPITO FEIJOÓ K.

  • JAIME AZULAY

  • JAMES LANGSTON HUGHES (1902-1967)

    O mais expressivo poeta negro americano, transportou para a poesia os ritmos e a cadência da música de seu povo, notadamente o blues.

    Prolífico, escreveu 16 livros de poesia, 3 de contos, além de documentários, peças teatrais, poesia para crianças, programas de rádio e TV e artigos para revistas e jornais.

    "O Negro Fala Sobre Rios" (The Negro Speaks of Rivers) é talvez seu poema mais famoso. Nesse texto ele considera a história das comunidades negras desde o Oriente bíblico e a África até a diáspora na América.

    Há um CD no qual Hughes recita esse poema e conta em que circunstância o escreveu. Ele tinha 18 anos e estava num trem, em viagem para a Cidade do México, onde o pai morava. O trem cruzou o rio Mississippi ao cair da tarde e ele começou a pensar sobre a escravidão e o que aquele rio representara para os negros americanos.

    Ler mais
  • JEAN-JOSEPH RABEARIVELO

Newsletter


Colabore com o Jornal Cultura - Envie-nos os artigos da sua autoria.

Colaboradores Ver todos