• MWANA ÁFRICA E DESLANDES MONTEIRO

    Mwana Áfrika e Deslandes Monteiro

  • Nelson Lineu

    Nelson Lineu nasceu aos 26 de Janeiro de 1988, em Moçambique, na cidade de Quelimane.

    É estudante de filosofia na Universidade Eduardo Mondlane. Membro fundador e secretário- geral do Movimento Literário Kuphaluxa.

    É chefe da redacção da revista Literatas onde foi director e assinante da coluna o passo certo no caminho errado.

    Tem contos e poemas em revistas e blogs moçambicanos e não só, e ainda conta com crónicas e textos de opinião na imprensa moçambicana.

    Ler mais
  • NGOLA NOBRE

  • NGUIMBA NGOLA

  • NILTON ANDRÉ

  • NORBERTO COSTA

  • NUNO REBOCHO

    Cabo Verde

  • OCTAVIANO CORREIA

    OCTAVIANO CORREIA nasceu no Lubango (1940) onde fez os seus estudos liceais. Iniciou-se nas lides literárias colaborando em páginas literárias de vários jornais angolanos e como realizador do programa para crianças, "Parque Infantil", do Rádio Clube da Huíla para o qual produziu contos e teatro radiofónico (1967/1973).

    É membro fundador da União dos Escritores Angolanos (1975), do IBBY- Organismo Internacional para a Literatura Infanto-Juvenil, com sede na Dinamarca (1982) e membro fundador da Associação dos Escritores da Madeira (1989).

    Na União dos Escritores Angolanos desempenhou as funções de Secretário para as Actividades Culturais e Redator da revista literária "Gazeta Lavra & Oficina". Foi Director Nacional do Instituto Nacional do Livro e do Disco de Angola (INALD)-1980/1981.

    Na Rádio Nacional de Angola (Luanda) realizou, durante 3 anos, o programa (diário) para crianças "Rádio Piô" e foi coordenador da programação infanto-juvenil ao nível nacional (16 emissoras regionais) e realizador do programa "Onda da Manhã". De 1985 a 1988 foi redactor e co-coordenador da Revista "T-VEJA" da Televisão Popular de Angola -TPA. Reside, desde 1988 na Madeira.

    OBRAS PUBLICADAS

    -FIZESTE FOGO À VIUVINHA (Contos) - Cadernos Lavra & Oficina ­ União Escritores Angolanos (UEA) – Angola
    - ERA UMA VEZ QUE NÃO CONTO OUTRA VEZ ­ União dos Escritores Angolanos (UEA)
    -O ESQUILO DA CAUDA FOFINHA E O DENDÉM APETITOSO - Plátano Editora, Lisboa; INALD-Angola.
    -O PAÍS DAS MIL CORES - Sá da Costa, Lisboa; INALD-Angola
    - ZEMLA OD HILJADU BOJA (Tradução em servo-croata de O País das Mil Cores) - Decje Novine, Liubliana,-Jugoslávia
    - O REINO DAS ROSAS LIBERTAS - Sá da Costa, Lisboa; INALD-Angola
    - O PATINHO QUE NÃO SABIA NADAR – INALD-Angola
    - AMIZADE DE LEÃO NÃO SE FAZ COM TRAIÇÃO - INALD-Angola
    - GALI O PÁSSARO DE FOGO - TVeja-Angola
    - UN REY SIN REINO ­ União dos Escritores e Artistas de Cuba (UNEAC)
    - LUCHILA A GOTINHA DE ÁGUA (Colectânea de Autores Angolanos), União dos Escritores Angolanos-Angola
    - O MONSTRO DAS SETE CABEÇAS E AS MENINAS ROUBADAS ­ DRAC-Funchal -1989
    - COISAS SIMPLESMENTE - Editorial Correio da Madeira – Funchal
    - HISTÓRIAS COM GENTE DENTRO - Editorial Correio da Madeira ­ Funchal
    - O MENINO DOS OLHOS AZUIS DE ÁGUA - Editora 7 Dias 6 Noites - Vila Nova de Gaia – 2008
    - ABCD Alguma Bicharada Até ao Z - Editora 7 Dias 6 Noites - Vila Nova de Gaia (2008)
    - EFGH ALGUMA BICHARADA ATÉ AO Z - Editora 7 Dias 6 Noites - Vila Nova de Gaia (2009)
    - IJKL ALGUMA BICHARADA ATÉ AO Z - Editora 7 Dias 6 Noites - Vila Nova de Gaia (2010)
    - MNOP ALGUMA BICHARADA ATÉ AO Z - Editora 7 Dias 6 Noites ­ Vila Nova de Gaia ­(2011)
    - A MAGI A DAS LENDAS - LENDAS DE SANTANA ­ Editora 7 Dias 6 Noites (2011)
    - CONTOS QUASE CRUEIS ­ Editora 7 Dias 6 Noites (2011)

    Ler mais
  • Palmira Tjipilica

  • PATRÍCIO BATSÎKAMA

  • PAULINO DAMIÃO (50)

    Paulino Damião (mais conhecido por Cinquenta), nasceu em Nambuangongo, província do Bengo.

    Com 36 anos de carreira, todos feitos ao serviço do Jornal de Angola foi galardoado, em 2010, com o Prémio Nacional de Jornalismo, categoria de fotojornalismo. "Aos 14 anos oi capturado pela tropa colonial e, dada a idade, "ficava entre os militares que ele chama de artistas ­ músicos, pintores, redatores, fotógrafos. Ironicamente, foi no campo de guerra que descobriu sua paixão. Nunca mais parou de fotografar. Em 80 foi enviado a Moscovo para cobrir a olimpíada. Era o único fotógrafo negro credenciado para os jogos olímpicos. Conhece quase toda a África subsaariana. O cognome "50" ganhou no começo da carreira. Cobria jogos de futebol apenas com uma lente de 50 mm, pois era a única que possuía, quando os outros fotógrafos, já nesta época, usavam longas teleobjetivas. "O fotógrafo da 50", assim se referiam a ele aqueles que não sabiam seu nome. Assim ficou." (extratos do artigo postado por Greg, no sítio internet `Casa de Luanda').

    Ler mais
  • Paulo de Carvalho (*)

  • PERPETELA

    Um dos maiores nomes da literatura angolana, Artur Carlos Maurício Pestana dos Santos, mais conhecido como Pepetela, nasceu no dia 29 de outubro de 1941 em Angola, na região litorânea de Benguela. Licenciando em Sociologia, entre seus livros mais importantes estão Muana puó (1978), As aventuras de Ngunga (1979), Mayombe (1980), A geração da utopia (1992), Parábola do cágado velho (1996), A gloriosa família (1997) Yaka (1985), O cão e os calús (1985), Lueji (1989), Luandando (1990), A geração da utopia (1992), O desejo da kianda (1995), Parábola do cágado velho (1996), A gloriosa família (1997), A montanha da água lilás (2000), Jaime Bunda, agente secreto (2002), Jaime Bunda e a morte do americano (2003), Predadores (2007), O quase im do mundo (2008), Contos de morte (2008), A Sul O Sombreiro (2011). Pepetela atinge o auge de sua carreira literária em 1997, quando conquista o Prémio Camões, pela totalidade de sua produção. Antes disso, porém, já recebera o Prémio Nacional de Literatura pela obra Mayombe.

    Ler mais
  • PIERRE BOURDIEU

    Pierre Bourdieu ocupou a cadeira de Sociologia no Colle?ge de France, onde dirigiu tambem o Centro de Sociologia Europeia e editou a revista Actes de la recherche en sciences sociales ate? sua morte em 2002.

    Ele é autor de vários livros clássicos em Sociologia e Antropologia, incluindo La Reproduction: éléments d’une théorie du système d’enseignement (com Jean-Claude Passeron; 1970), Esquisse d’une theorie de la pratique (1972), La Distinction: critique sociale du jugement (1979), Homo Academicus (1984) e Les règles de l’art: genèse et structure du champ littéraire (1992). Dentre os seus estudos etnográficos estão: Le déracinement: la crise de l’agriculture traditionnelle en Algérie (com Adbelmalek Sayad, 1964), Algérie 60: structures économiques et structures temporelles (1977), La misère du monde (1993) e Le Bal des célibataires: crise de la societé em Béarn (2002).

    Ler mais
  • RAS KILUNJI

Newsletter


Colabore com o Jornal Cultura - Envie-nos os artigos da sua autoria.

Colaboradores Ver todos