Curso Livre de História de Angola

Envie este artigo por email

Com o objectivo de transmitir um conhecimento amplo e cronologicamente estruturado acerca do que significou, dos tempos pré-históricos aos nossos dias, a realidade geográfica, política e cultural que é Angola, a UCCLA acolhe, na sua sede em Lisboa, de Abril a Julho, o Curso Livre da História de Angola ministrado e coordenado pelo Professor Doutor Alberto Oliveira Pinto.

Com o objectivo de transmitir um conhecimento amplo e cronologicamente estruturado acerca do que significou, dos tempos pré-históricos aos nossos dias, a realidade geográfica, política e cultural que é Angola, a UCCLA acolhe, na sua sede em Lisboa, de Abril a Julho, o Curso Livre da História de Angola ministrado e coordenado pelo Professor Doutor Alberto Oliveira Pinto.
Trata-se de uma iniciativa conjunta entre a Mercado de Letras Editores e a UCCLA.
O curso decorre durante 14 sessões, uma vez por semana, às 18 horas, e serão acompanhadas pela projecção de mapas, imagens e todo o tipo de suporte iconográfico. O curso é ministrado e coordenado pelo Professor Doutor Alberto Oliveira Pinto, contando também com a colaboração de convidados de reconhecida competência académica e profissional.
Alberto (Manuel Duarte de) Oliveira Pinto nasceu em Luanda, Angola, a 8 de Janeiro de 1962. Licenciou-se em Direito pela Universidade Católica Portuguesa, em 1986. É Doutorado e Mestre em História de África pela Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa, onde colaborou como docente no Departamento de História. Leccionou igualmente noutras universidades portuguesas. Presentemente é Investigador do Centro de História da Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa e do CEsA - Centro de Estudos sobre África e do Desenvolvimento do Instituto Superior de Economia e Gestão.
Como ficcionista publicou diversos romances e é autor de múltiplos livros de ensaio. Em 2016, foi presidente do Júri do Prémio Internacional em Investigação Histórica Agostinho Neto da Fundação António Agostinho Neto (FAAN). No mesmo ano foi, pela segunda vez, vencedor do Prémio Sagrada Esperança 2016 com o ensaio inédito Imaginários da História Cultural de Angola.

Comentários

Newsletter


Colabore com o Jornal Cultura - Envie-nos os artigos da sua autoria.

Colaboradores Ver todos