Rabearivelo, obras literárias completas, tomo II

Envie este artigo por email

Edição crítica coordenada por S. Metinger, L. Ink, L. amarosoa, C. Riffard

Imaginemos, no início deste vigésimo século, no coração de uma ilha ainda submetida à França, um jovem de cor que descobre o dom da expressão, associado ao amor pelas letras e pela língua francesa! Consciente de ser um génio, Jean-Joseph Rabiearivelo, nascido em 1903, trabalha então para se tornar no primeiro "intelectual" da sua nação.

Poeta, jornalista e crítico, romancista e dramaturgo, historiador e tradutor, ele esforçar-se-á para manter o equilíbrio entre o inato e a abertura de espírito que lhe foi permitida por um médio estrangeiro prestigioso.

Ele que se diz "filho de reis de uma época longínqua" mas vive em condições duras no seu estatuto de bastardo, será a luz brilhante da sua "raça". Isto passará pelo domínio da língua do conquistador e pelo excelente destaque que ele mostrará no campo literário de uma das mais antigas civilizações da Europa.

Além disso, ele não se esquece e não esquecerá nunca a língua e a civilização malgaches. A sua perspetiva intelectual, literária, estética e crítica está traçada e o seu sonho mais querido é de por em contacto e fazer passar uma cultura dentro da outra, ou seja, as duas culturas que são as suas: a europeia (a francesa mais particularmente) e a malgache.

A sua admirável criatividade não se contenta em explorar os modelos em vigor, e o domínio da língua francesa não significa submissão intelectual e moral ao conquistador.

Esta língua vinda de outros pontos, imposta primeiramente pela força das armas, mas amada apaixonadamente, pode tornar-se uma ferramenta de abertura ao mundo e à universidade da literatura enquanto expressão da dignidade humana.

Este segundo tomo das suas obras completas compreende, em primeiro, a obra essencial, isto é, a obra de criatividade ­ a poesia, as narrações, as peças de teatro ­ em seguida, a obra do eminente transmissor de cultura e de civilizações que ele foi durante toda a sua fulgurante carreira ­ as traduções de poemas malgaches tradicionais e contemporâneos para o francês ­ e finalmente a contribuição do intelectual engajado e criativo ­ os artigos críticos e os ensaios de história.

Comentários

Newsletter


Colabore com o Jornal Cultura - Envie-nos os artigos da sua autoria.

Colaboradores Ver todos