Três poemas de Japone Arijuane

Envie este artigo por email

 (poeta moçambicano)

Três poemas de Japone Arijuane
Poeta moçambicano

1.
O machuabo em mim
não é senão um
matchangana disfarçado
a sonhar-se makonde
com engenho da sua arte
se esculpir ndau
n’siro na fé
pintar a crença makwa
adormecida nos chewas,
nyungues e yaos
da minha diáspora.

2.
O plágio dos teus beijos
edita novos exemplares de amor
na antologia dos meus sonhos.
Vou folheando os compêndios
dessa solidão
para apreender o decalque
deste sonho de me tornar
a poesia em teus lábios.

3.
Em mim a caneta
é escopeta nas mãos dum Achicunda
Naringa
atravessando corpus de silêncios.

...
em meus dedos se revela
a identidade desse silêncio
dactilografado de vazios
condensado no voo
esculpido em palavras.

In: ''Dentro da pedra ou a metamorfose do Silêncio”

Comentários

Newsletter


Colabore com o Jornal Cultura - Envie-nos os artigos da sua autoria.

Colaboradores Ver todos