Poema de Manuel Rui

Envie este artigo por email

CANTAR ANDRÉ MINGAS

Este poema que eu ouvi do mar
No búzio que deixaste sem eu ver
Com um violão de pássaros a voar
E que agora mesmo acabo de escrever

E acabo agora mesmo de sentir
O teu sorriso imenso de encantar
Tuas mãos de sons que davas para ouvi
Teus olhos tão intenso o teu olhar

Então não é mais poema é uma canção
E agora mesmo não estou a sonhar
Escuto André a tua voz de amigo irmão

Neste nosso poema pra cantar
Nesta nossa cantiga tão adiada
Os sons os versos tudo bem cuidado
Mas nunca é tarde para ser cantada
Pois continuas sempre ao nosso lado

Comentários

Newsletter


Colabore com o Jornal Cultura - Envie-nos os artigos da sua autoria.

Colaboradores Ver todos