Ressuscitar o Reino do Kongo

Envie este artigo por email

Em primeiro lugar, gostaria de saber se as antenas das telecomunicações, que se encontram em Mbanza Kongo, estão à espera de que sinal para serem removidas, porque o prazo dado pela UNESCO está a terminar. Aproveito também esta oportunidade para apresentar as seguintes propostas: a elevação de Mbanza Kongo a Património Cultural Mundial é uma grande oportunidade para os naturais e moradores(as) desta cidade. O Reino é uma instituição com usos e costumes próprios, priorizando a tradição.

Em primeiro lugar, gostaria de saber se as antenas das telecomunicações, que se encontram em Mbanza Kongo, estão à espera de que sinal para serem removidas, porque o prazo dado pela UNESCO está a terminar. Aproveito também esta oportunidade para apresentar as seguintes propostas: a elevação de Mbanza Kongo a Património Cultural Mundial é uma grande oportunidade para os naturais e moradores(as) desta cidade. O Reino é uma instituição com usos e costumes próprios, priorizando a tradição. A nossa preocupação é a falta de um Rei eleito pelos(as) súbditos(as). Esta situação alastra-se há cinco décadas e não se vislumbra uma luz no fundo do túnel.Entretanto, somos igualmente a propor a construção do Palácio do Rei, ou seja, a residência protocolar para as actividades oficiais. O terreno é de 200 metros quadrados localizado no centro da cidade, na zona urbana, sendo a infra-estruturaprincipal a ser erguida numa área de 120 metros quadrados. Terá um anfiteatro com capacidade para quinhentas (500) pessoas, norés-do-chão (50x30), com a denominação sala kulumbimbi. O salão de festas com mil (1000) pessoas, no máximo (50x50).
A sala de visitas terá 20 por 20, com dez(10) sofás e seis cadeirões, sendo à sofá alta reservada ao Rei. Haverá igualmente a chamada Galeria dos Reis (10x5) com as fotos e os nomes dos antigos “ntotilas”. A parte superior (primeiro andar) será preenchida com dez(10) gabinetes: o do Rei de dimensão maior, isto é, Gabinete Real, terá o espaço para secretária principal, secretária adjunta, secretária (assistente), administrativa, director de gabinete, administrador geral, chefe do sector de imprensa (2), chefe do sector de protocolo e relações públicas (4), protecção física (6), polícia (2).
O pessoal de apoio incluirá ainda três motoristas, duas cozinheiras, duas governantas, duas empregadas de limpeza, totalizando25 elementos que serão pagos pelo Estado angolano, ou sejam, fundos públicos. Apenas os dois oficiais da PN (ajudantes de campo), com os graus de subcomissários e superintendente chefe, pertencentes à UPIP, terão direito a três subsídios, nomeadamente, disponibilidade, combustível e telecomunicação, não superiores a 60 mil kwanzas. O parque automóvel será composto por três jipes de marca Toyota (Land Cruiser V8 para o Rei e o Administrador Geral e Lexus LX 570 para o Protocolo Real), quatro carrinhas, de preferência Toyota Hilux.A assistência técnica será feita na oficina do Governo Provincial do Zaire. Ademais, o primeiro andar terá ainda dez quartos, comuma Suite Real, para os hóspedes especiais.
O espaço a ser escolhido será na zona do actual aeroporto de Mbanza Kongo, depois da mudança. No âmbito da promoção do turismo angolano, haverá uma galeria fotográfica com as Maravilhas de Angola com as seguintes dimensões: três metros de comprimento e dois de altura, nela serão também expostas obras dos artistas plásticos, obras de barro, modas, desfiles de modelos, culinária e gastronomia, poesias, romances de angolanos(as), africanos(as) e internacionais, tecelagem, grafitis, desfiles de sapeiros (SAPE) da RDC e do Congo, palestras, colóquios, encontros, workshop, reuniões, ateliers, semanas de produtos angolanos (mfumbua, mbika, kizaca, nsombe, peixes, mandioca, banana-pão, batata doce, gimguba, abóbora, nsamba (maruvu), lunguila, carnes do mato, frutas, produtos do mar, etc.

Comentários

Newsletter


Colabore com o Jornal Cultura - Envie-nos os artigos da sua autoria.

Colaboradores Ver todos