Dança contemporânea Solos para um dó maior

Envie este artigo por email

Dança contemporânea Solos para um dó maior
Dança contemporânea Solos para um dó maior Fotografia: Paulino Damião

A Companhia de Dança Contemporânea de Angola (CDC) estreia, nos dias 23, 24, 25 e 27 de Junho às 19.00 h, no Auditório Pepetela do Centro Cultural Português, em Luanda, SOLOS PARA UM DÓ MAIOR, uma peça intimista construída com base num processo de pesquisa individual e improvisação, sobre um conjunto de personagens retiradas de um conto da literatura oral angolana. A articulação com extractos da obra “A Cidade Cruel” do escritor camaronês Eza Boto (Mongo Betti) abre ao público a possibilidade de desenvolver, livremente, a sua própria interpretação. Implícitas estão a Vida e a Morte.
Do dia 7 ao dia 11 de Julho, a CDC apresenta, no mesmo espaço cultural, PAISAGENS PROPÍCIAS, uma peça inspirada nas vivências e na obra do antropólogo angolano Ruy Duarte Carvalho e que revisita os povos do deserto do Namibe no sul de Angola.
Criada para a CDC Angola em 2012 pelo coreógrafo Rui L. Graça, com música original de João Lucas e desenho de figurinos de Nuno Guimarães esta obra teve estreia mundial em Janeiro de 2013. A CDC Angola insiste na apresentação desta peça, como forma de honrar o incondicional compromisso assumido com o seu o público. Para a comodidade de todos e por questões técnicas, a CDC Angola informa que não será possível o acesso à sala depois do espectáculo ter início, bem como será expressamente proibido fotografar e filmar.

Comentários

Newsletter


Colabore com o Jornal Cultura - Envie-nos os artigos da sua autoria.

Colaboradores Ver todos