Dom Francisco da Mata Mourisca lança "Violinos de Deus"

Envie este artigo por email

Inserido nas jornadas alusivas ao 90º aniversário natalício do Dr. António Agostinho Neto, patrono da Universidade Agostinho Neto (UAN) e seu primeiro Reitor, Dom Francisco da Mata Mourisca, Bispo Emérito do Uíge, apresenta dia 19 de Setembro, às 10 horas no Campus Universitário, na Camama, a sua mais recente sinfonia de palavras, "Violinos De Deus", editado pela Mayamba Editora, na sua coleção Kunionga.

Fotografia: Dom Francisco da Mata Mourisca

Dom Francisco de Mata Mourisca, também chamado José Moreira dos Santos (nome civil), nasceu a 12 de Outubro de 1928, na então freguesia de Mata Mourisca (donde lhe vem o nome), Diocese de Coimbra, Portugal. Filho de Francisco dos Santos e de Deolinda de Jesus Moreira.

Foi ordenado Sacerdote no Porto, a 20 de Janeiro de 1952, na Ordem dos Frades Menores Capuchinhos. Formou-se, em Teologia, na Universidade de Salamanca, Espanha, em 1957. Exerceu vários cargos de responsabilidade, entre os quais o de Ministro Provincial dos Capuchinhos em Portugal.

Nomeado Bispo do Uíje, por Papa Paulo VI, a 14 de Março de 1967, foi ordenado Bispo, a 30 de Abril de 1967, no Porto, como primeiro Bispo da Diocese do Uíje, aonde entrou a 30 de Julho do mesmo ano. Acumulou por algum tempo os cargos de Bispo de Carmona e de Mbanza Kongo, até a criação da atual Diocese de Mbanza Kongo.

Padres ordenados por Dom Francisco e que chegaram ao episcopado: Dom Afonso Nteka, 1º Bispo de Mbanza Kongo; Dom Almeida Kanda, Bispo de Ndalatando.

Como membro da CEAST (Conferência Episcopal de Angola e São Tomé), exerceu o cargo de Secretário-Geral e Presidente do Movimento PRO PACE, em cujas funções organizou os dois Congressos Nacionais PRO PACE.

Esteve no governo da Diocese durante 41 anos (1967-2008). Até ao momento, é o Bispo Emérito da CEAST que fez mais tempo no episcopado. Foi substituído por Dom Emílio Sumbelelo, como Bispo do Uíje, desde 2008.

Ainda como membro da CEAST exerce atualmente o cargo de Presidente da Comissão Episcopal para o Ecumenismo e o Diálogo Inter-religioso.

É autor de vasta obra literária e doutrinal: África Renascida; Amor por Angola; O Escândalo da Justiça; Protagonistas do 3º Milénio; Lágrimas e Sombras: recordação de Angola; Cartas Políticas ou cartas de Amor, entre outros.

Comentários

Newsletter


Colabore com o Jornal Cultura - Envie-nos os artigos da sua autoria.

Colaboradores Ver todos