O que será o kalupetekismo?

Envie este artigo por email

Importa referir que a complexidade do fenómeno em causa requer um estudo inter e multidisciplinar.

O que será o Kalupetekismo?
Ovelhas

Começamos a nossa dissertação com uma pergunta: o que será o kalupetekismo? Essa pergunta surge na sequência dos acontecimentos que ocorreram recentemente na Província do Huambo e que, em nossa modesta opinião, exige uma reflexão em torno de outra questão: “o que dizer do indivíduo que, sem instrução, afirma ter encontrado na religião resposta para todos os problemas”?
Importa referir que a complexidade do fenómeno em causa requer um estudo inter e multidisciplinar, e, apesar de não sermos experts em matéria de religião, pretendemos apenas reflectir sobre a questão colocada com o próposito de identificar algumas das causas que terão motivado o surgimento do kalupetekismo.

O conceito de kalupetekismo
Não nos parece ser fácil definir o kalupetekismo – expressão criada pelo economista Maurício Munene. Ora fala-se em seita religiosa, ora em Igreja (a Luz do Mundo), havendo ainda quem fale de movimento fundamentalista cristão. Ao que parece, as definições não param por aqui, porém, limitamo-nos a estas por serem as mais conhecidas.
Com base em alguns dados que têm sido publicados, relativos à biografia de JulinoKalupeteka, definimos o kalupetekismo como um movimento religioso saído da Igreja Adventista do Sétimo Dia. Esta confissão religiosa, de onde saiu JulinoKalupeteka, fundamenta a sua doutrina no Advento de Cristo e,alguns estudos feitos até ao presente(cf. Os Jovens perguntam; Seitas e Heresias),apontam a datação do regresso de Cristocomo um dos elementos da doutrina adventista nos primeiros anos da sua existência.
Portanto, se, por um lado, os dados apontam para o enquadramento do kalupetekismono conceito de seita religiosa, por outro lado, a datação do regresso de Cristo insere-se no retorno a uma espécie de «pureza doutrinária» - uma das características de um movimento fundamentalista.

A mensagem de kalupeteka
Para alguns líderes espirituais “Deus não escolhe letrados para o ministério pastoral”. Para esses pregadores, ser “letrado” equivale a ser “arrogante”, daí que, segundo tais pastores,“Deus escolhe o humilde” para o ministério pastoral. Infelizmente o analfabetismo confunde-se aqui com humildade.
É nesse sentido que a mensagem de Kalupetekaé vista como um atentado ao programa de desenvolvimento humano que passa, entre outros, pela elevação do nível de instrução dos cidadãos. Por outro lado, ela parece revelar o baixo nível de instrução do pregador que tencionava criar, num local inóspito, um mundo de iletrados, isto é, à sua imagem e semelhança.
Uma análise mais profunda sobre a sua mensagem parece revelar algum temor ou insegurança de JulinoKalupeteka em relação aos membros da sua confissão religiosa com um nivel de instrução superior ao seu.
Como se sabe, a instrução habilita o indivíduo a exercer o poderdacríticasobrea realidade sociocultural; a instrução cria mentes reflexivas consideradas de “insubmissas e rebeldes” por certos “profetas”. Estes, com o temor da perda do poder e do excessivo protagonismo que têm no seio do rebanho, desvalorizam a ciência e sobrevalorizam o conhecimento religioso, muitas vezes distorcido, com o qual se apresentam como “autoridades incontestáveis e irrefutáveis” na interpretação dos textos sagrados, porém, profanados pela conduta indecorosa dos mesmos.
Senão, como compreender que um indivíduo, ou seja, um crente qualificado de “kapanga” por um suposto «profeta» se sinta acomodado com tal adjectivo? Somente a permanência no obscurantismo, que impossibilita a leitura e a interpretação correcta da mensagem bíblica de amor, e a aceitação de certos dogmas, podem justificar a passividade do rebanho, em geral, e da ovelha em particular, diante de tamanho desrespeito!

Um Jesus iletrado?
Como foi possível um menino com apenas 12 anos idade ter despertado a admiração dos doutores da Lei? (Lc. 2:41-52) Para os cristãos, a afirmação segundo a qual Jesus Cristo teria sido analfabeto, apesar de ter sido o maior profeta, representa por si só um acto de distorção e de profanação do Evangelho. Por outro lado, estabelecer à força uma convergência entre o que teria sido a condição social de Cristo com a de Kalupeteka, parece ter sido o motivo da distorção da mensagem bíblica sobre este ponto.
Se assim for, diremos que tal objectivo está longe de ser alcançado, pois, apesar da Sua origem divina, humanamente Jesus pertencia à linhagem do rei David, portanto, detentora de um elevado nível de instrução – elemento importante para exercer o poder e influência em Israel (ver o caso de Salomão, filho de David, no livro II deCrónicas, cap. 2).

Concluindo
Sem pretensão de concluirmos a abordagem do fenómeno, diremos apenas que a história do kalupetekismo confunde-se com a trajectória de vida do seu líder interligada, durante algum tempo, com a Igreja Adventista do Sétimo Dia. O estudo da doutrina professada por esta confissão religiosa nos primeiros tempos da sua existência constitui um elemento importante para a compreensão do referido fenómeno.
Deste modo, esperamos que outras reflexões sobre o assunto em referência sejam trazidas a este espaço com o propósito de enriquecer o debate sobre um assunto que diz respeito a todos os cidadãos.

Comentários

Newsletter


Colabore com o Jornal Cultura - Envie-nos os artigos da sua autoria.

Colaboradores Ver todos