Wadi o jindende untu wengi [Provérbios kimbundu ­ português - III]

Envie este artigo por email

– Wadi o jindende untu wengi wa kussuka o mizumbu yji muene wadi o jindende
(O que comeu os dendéns é outra pessoa, o que tem os lábios vermelhos é que comeu os dendéns; a pessoa que gosta da mulher está calado, mas o que está a falar
muito é porque é o namorado)

– Oh kizanga kia kambe oh ngandu ah kitamba ni maku
(A lagoa que não tem jacaré pode pescar com as mãos; na aldeia que não tem soba todos brincam

– Wila wi ngaia kussanga ah kuetu kiwidi we ngaia kussanga anandengue
(Diz que vou encontrar os outros, não diz que vou encontrar os miúdos; a criança que deixou pequenos hoje já é homens

– Oh hombo uvala mona umoxi na nesse
(A cabra dá à luz um filho e o lambe; deves resolver um problema de cada vez)

– Oh kizua kia kufua kimoxi
(O dia de morrer é só um; o homem não morre duas vezes)

– OH nguma yie udilenaiu kumoxi
(O teu inimigo podes comer com ele junto)

– Umbangue mbote nguma ya mundu
(O que faz bem a muita gente sempre é inimigo de todos)

– Kia bangue muenu bangakiu we luimbi lwamuxima lwaa yba
(O que o outro fez, você também pode fazer; é muito mau guardar ódio no seu coração)

– Oh ditue ni dia leah kidi tena kutunda un’tue
(A orelha pode ser comprida, mas não pode ultrapassar a cabeça; o filho pode ser grande não pode dar ordens ao pai).

Comentários

Newsletter


Colabore com o Jornal Cultura - Envie-nos os artigos da sua autoria.

Colaboradores Ver todos