Publicações históricas em inglês

Envie este artigo por email

Literatura angolana

Publicações históricas em inglês
Ten.Gen. Miguel Júnior

Sem dúvida alguma, a literatura publicada na língua de Shakeaspeare é o macho linguístico dominante no universo das Letras global. Tem muito mais peso cultural e económico que os livros em francês, alemão, russo ou o chinês. O livro em português fica então num canto da estante interplanetária, enquanto uma obra em inglês circula desde o Japão até à Islândia.
É por isso que toda a mentira histórica sobre a África editada e publicada, tanto em forma de livro, como nas redes sociais há muito circula nas mentes de quem a elas tem acesso, como, por exemplo, a incrível e aterradora falácia montada pelo Apartheid de que as forças de defesa sul-africanas no tempo do regime de segregação racial mais odioso do Planeta invadiram Angola independente para libertar a África do perigo vermelho. Falácia essa aproveitada por alguns estadistas da maior potência militar mundial no tempo da Guerra Fria. Essa falácia representou e representa um insulto contra os sul-africanos negros escorraçados para os Bantustões, os que morreram nas minas de carvão, os escravos do tempo dos Holandeses no Cabo, os prisioneiros de Robben Island, como Mandela, e os que morreram nas masmorras do Apartheid.
Mas ninguém pode esconder a verdade por muito tempo. Hoje, ela vem à tona das águas e na própria língua da saudosa Princesa Diana. A Editora AuthorHouse, com sede em Bloomington, mostrou-se interessada em publicar alguns livros da autoria e co-autoria do tenente-general Miguel Júnior, na medida em que esses livros abordam questões ligadas à guerra na África Austral. Nesta base, a Editora AuthorHouse publicou três obras: Involvement of South African Defense Forces in South East Angola 1966-1974. A Counterinsurgency Study;
Popular Armed Forces for the Liberation of Angola. First National Army and the War (1975-1992);
Angola. The Failure of Operation Savannah 1975.
Estas obras estão agora disponíveis em língua inglesa e em vários sites, com destaque para a amazon.co.uk. Por isso, os leitores podem adquirir as obras nos formatos softcover, hardcover e ebook.
Este é um tipo de trabalho de pesquisa e edição sobre a História mais recente da guerra em Angola que merece o apoio dos Mecenas, do Executivo Angolano em primeiro lugar e do próprio ministério da Defesa Nacional. Finda a Guerra Fria, após a queda do Muro de Berlim, importa elucidar o que é que tinha a ver com a luta das grandes potências, como reminiscência da II Grande Guerra, e aquilo que não era decorrência directa dessa disputa, mas uma sequela histórica do sistema colonial de dominação dos povos, surgido muito antes da II Grande Guerra. Neste caso, o regime anacrónico do Apartheid, que, para justificar a escravatura e a exploração desenfreada dos negros sul-africanos não se coibiu de propalar aos quatro ventos que destruiu o Sul de Angola para " defender"  os africanos do perigo russo-cubano. Tanta mentira deve ter criado pelos na língua dos boers.

Comentários

Newsletter


Colabore com o Jornal Cultura - Envie-nos os artigos da sua autoria.

Colaboradores Ver todos