A Crónica de Imanni da Silva: Desejo de ano novo

Envie este artigo por email

Mais um ano termina e com ele reflectimos sobre tudo de bom e de mau que passou em nossas vidas, muito se reclama da crise e  muito mais e melhor se deseja no novo ano.

A Crónica de Imanni da Silva: Desejo de ano novo
Peça da exposição colectiva “Elas Expõem” Fotografia: Arquivo

O optimismo é praticamente mais do que uma opção, uma necessidade e por mais stressante que seja o nosso dia à dia a vontade de esquecer e fugir do mesmo não deixa de ser uma vontade. Como artista refugio-me na criação e carrego comigo a responsabilidade de oferecer aos meros mortais um mundo de fantasia onde cada um cria a sua própria estória.  E num mundo de uma real fantasia  é impossível não fazer um  balanço sobre os passos significativos que acredito que o nosso País deu no mundo das artes. Sem dúvida Angola se deve orgulhar pela participaçãp na Expo Milão 2015 tendo educado e informado o mundo sobre a sua cultura, hábitos e costumes. Os artistas aumentaram e também o número constante de exposições onde os amantes e colecionadores por vezes nem sabiam por onde se virar com até 3 exposições  num só dia tal como lançamento de obra literárias e peças de teatro. Os espaços para tal temos mas não podemos ainda dizer que estão de bom tamanho, Por iniciativa de muitos certos bares e restaurantes têm noites especiais dedicadas as artes tal como o Goz´aqui e UnitedArtistsWednesdays. Ansiosa estou para a abertura do Museu da moeda de frente à torre BPC cujo desenvolvimento segui com bastante entusiasmo, igualmente com reabertura do Palácio de Ferro ou futuro Museu do Diamante que acredito eu serão o mais novos espaços culturais que servirão de apoio para os criadores com fome de partilhar com o mundo o seu sonho.A galeria Hall e Mov´arteforam as galerias de arte contemporânea inauguradas para nosso alívio. Os projectos artísticos têm surgido entre eles o Mural da Serra Da Leba e oCucarte onde tive o prazer e honra de participar, projectos estes que dão aos artistas a oportunidade de trabalhar e levar ao público os salpicos da sua criatividde. Mais concursos para a descoberta de novos talentos seriam ideais onde a promoção e valorização dos mesmos permitisse que estes crescessem e levassem para bem longe as nossas cores. Em 2016 aguardamos com bastante apetite por mais uma edição do Ensarte e a Trienal de Luanda. Para mim os nossos passos estão a aumentar  cuja velocidade queremos aumentar mas claro que para nós mais significa melhor e no novo ano todos temos desejos e para além de saúde, paz, amor e sucesso, também em nome de todos os artistas peço atenção, valorização e sobretudo mais espaços e apoios onde cada um de nós poderá dar ao público e ao País mais vida e educação.
IMANNI DA SILVA

Comentários

Newsletter


Colabore com o Jornal Cultura - Envie-nos os artigos da sua autoria.

Colaboradores Ver todos