"A minha primeira mala de leitura" - Um cabaz literário para todas as crianças

Envie este artigo por email

Quando um dia crescer, hei-de contar a minha própria história. E nela, não me vou esquecer deste dia de Dezembro, véspera de mais um Natal, quando muitos meninos se preocupavam em pedir aos pais bicicletas, bonecas, telemóvel, Ipads, roupas e viagens.

Eu queria ter um livro só meu. Um livro que seria meu amigo, que me ensinasse a conhecer o mundo, a tocar nos animais, desvendar os nomes das plantas, sentir o aroma das flores, viajar nas asas das aves e embarcar neste mundo fantástico da felicidade.

Neste dia 20 de Dezembro, um sábado lindo, com um sol forte e cintilante, o meu Lar Kuzola recebeu a visita de amigos do bem e da cultura.

Foi neste dia que ganhei a "Minha Primeira Mala de Leitura", com eles passamos momentos maravilhosos. Ouvimos estórias.

Cantamos, brincamos e cada menino ganhou a sua mala de livros.

Por isso que digo que este natal foi muito especial para mim, porque tive direito a um cabaz, o meu "cabaz de livros infantis". Tive a oportunidade de conhecer e estar ao lado dos escritores que redigem as histórias da nossa terra, com o objectivo de ensinar às crianças os valores da cultura, da paz, da amizade, de moral e de amor a pátria.

E eu disse para mim mesmo: "Quando crescer hei-de escrever a minha própria história. Não será uma história triste, não será só uma história divertida, mais do que tudo será a história que vai cantar a esperança! A esperança de acreditar que o amanhã será um dia melhor. E que o melhor lugar de uma criança é estar ao lado de pessoas que a amam e que lhe dão todo o carinho.

E mais, só com o estudo o menino torna-se um grande homem. Com os livros, hei-de aprender a ler, hei-de aprender a escrever, e contarei também para as outras crianças, para que elas não percam a esperança.

A esperança do Natal e também a fé. A fé que neste dia uma estrela estará brilhando só e somente para ela. Se puderes, conta também esta história para tua criança, e diz que de dia sou o sol e de noite sou aquela estrela, que estará lá em cima, sorrido só e somente para ela, desejando um feliz Natal e próspero ano novo cheio de livros para todas as crianças angolanas!

Comentários

Newsletter


Colabore com o Jornal Cultura - Envie-nos os artigos da sua autoria.

Colaboradores Ver todos