Carta

Envie este artigo por email

Poema da Ana T. Rocha.

Carta
Carta

Fuga ou falha, erro ou falta
nas tuas mãos em concha.
Não dorme noutro lugar
o meu distúrbio envaidecido.

Crê-se calmo,
compreendido. Nas tuas mãos
o sono da convalescência.

Ana T. Rocha

Comentários

Newsletter


Colabore com o Jornal Cultura - Envie-nos os artigos da sua autoria.

Colaboradores Ver todos