CPLP: uma criança com livros para ler

Envie este artigo por email

Lisange Yange só tem três anos de idade. Quase chocámos com ela no hall de entrada da grande tenda branca da primeira Feira do Livro da CPLP que encerrou as suas portas no passado dia 29 de Novembro.

Losange e Kida

Na realidade, Lisange vinha sumamente distraída, por estar concentrada no pequeno livrinho “A princesa e o sapo” que segurava com as duas mãos como um tesouro. Naquele penúltimo dia da Feira, os livros foram vendidos ao desbarato.

Única filha do juiz Adelino Yange, a menina olhava o mundo à sua volta, com os seus olhos de anjo. “Sempre que saímos, carregamos um ou dois livros. Ela gosta de livros”, explica o pai que diz que lê para a menina, normalmente à noite e aos fins de semana.

“O livro ajuda a formular uma consciência positiva e também ajuda na construção do pensamento”, concluiu o juiz que educa a filhinha pelo exemplo.

Lisange é o símbolo da primeira feira do livro da CPLP: uma criança a despontar, repleta de livros que ainda não são lidos, mas que o tempo promete reunir num futuro olhar alfabetizado.

Uma criança com livros para ler. Assim vimos a feira do livro da CPLP na imagem de outra menina, a Kícia, também de três anos de idade, ciosa do livro que não mostrou sequer para vermos o título, guardando-o apressadamente no saco de compras da feira.

Comentários

Newsletter


Colabore com o Jornal Cultura - Envie-nos os artigos da sua autoria.

Colaboradores Ver todos