Escritor Ruy Duarte De Carvalho recordado pelos amigos e estudantes da escola com o seu nome

Envie este artigo por email

"Vou lá visitar pastores": esta é a frase estampada numa das pequenas muradas edificadas junto ao local onde foram colocadas as cinzas que resultaram da cremação dos restos mortais do escritor, poeta, antropólogo e cineasta Ruy Duarte de Carvalho.

Os presentes falaram do escritor

Bernardete Penguelewa, de 16 anos de idade, que estuda a sétima classe na mesma escola, reconheceu haver pouca divulgação de Ruy Duarte de Carvalho e de outros escritores angolanos, e também realçou que o facto de se atribuir o nome dele à sua escola é um grande reconhecimento por parte do governo e da sociedade.

José Frazão, professor de Historia da referida escola, disse que, como escritor, poeta e antropólogo, Ruy Duarte de Carvalho é uma figura que tem sido, para ele, uma das fontes históricas no estudo da disciplina e no mundo literário em si.

João Tavares, outro amigo do escritor Ruy Duarte de Carvalho, disse que o escritor merece mais do que homenagens. O mesmo acentuou que é preciso fazer das suas obras motivos de reflexão para dar a conhecer à nova geração de estudantes a importância da cultura, hábitos de leitura e de investigação no mundo cultural.

Para evitar construções com fins alheios, muitas opiniões durante a cerimónia convergiram na defesa e conservação do local, responsabilizando o governo da província no sentido de conceder aos parentes e amigos do escritor o direito de superfície do espaço onde estão os restos mortais do escritor.

Outras contribuições à escola Ruy Duarte de Carvalho

O escritor David Capelenguela doou recentemente mais de 300 livros de autoria dos escritores angolanos à escola Ruy Duarte de Carvalho, como forma viva de prestar homenagem.

Sem deixar de enaltecer a figura do poeta, antropólogo e cineasta, disse: "pessoalmente, lhe devo gratidão. Pois foi esta figura que me levou a tomar contacto com os aspetos inerentes à cultura tradicional e à oralidade".

David Capelenguela afirmou que conviveu muitos anos com Ruy Duarte de Carvalho e que este fê-lo conhecer muitas terras do Namibe e seus municípios. O mesmo disse também que vai continuar a homenageá-lo com aquilo que lhe vir da alma.

A diretora da escola Ruy Duarte de Carvalho, Maria Augusto Carvalho, afirmou que a doação dos livros tem grande importância porque vai facilitar o processo de ensino no círculo dos alunos.

De forma a manter vivo o nome do patrono da escola, a diretora da instituição salientou que os professores vão continuar a transmitir a vida e obra do escritor Ruy Duarte de Carvalho.

Na visão da diretora da escola, a doação vai igualmente permitir a criação da biblioteca da escola, cujas obras tiveram o seu início através da comparticipação financeira dos encarregados de educação da referida escola.

Por sua vez, o sociólogo Gaspar Madeira louvou o gesto do escritor David Capelenguela e afirmou que o gesto é uma forma de chamar a atenção às entidades de direito de forma a incentivar a prática de leitura nas crianças e não só, de forma a conhecerem os acontecimentos do passado e darem a conhecer a forma de se expressar e cuidados a terem com a própria língua oficial, que é o português.

Comentários

Newsletter


Colabore com o Jornal Cultura - Envie-nos os artigos da sua autoria.

Colaboradores Ver todos