História da Universidade Católica de Angola em livro

Envie este artigo por email

Cunene ganha uma obra literária.

História da Universidade Católica de Angola em livro
Padre Apolinário autor da obra

Os amantes da leitura da província do Cunene ganharam esta semana mais uma obra literária intitulada “História da Universidade Católica de Angola-Da génese à fase actual (1999-2014)”, da autoria do padre Apolinário Hianamushinda.
Para o seu autor, o livro é um grande contributo da Universidade Católica no desenvolvimento do ensino superior no país.
O vigário da Diocese do Lubango, monsenhor Geraldo Namolo, considerou a obra como uma contribuição valiosa e acima de tudo um instrumento do conhecimento, por reunir um conjunto de elementos que descrevem e situa leitores sobre a realidade do país na vertente académica.
O vigário lembrou que o autor do livro ao debruçar-se sobre a universidade Católica de Angola, quis simplesmente dar ênfase da importância de qualquer faculdade no contexto actual do país, a luz das transformações económicas e sociais, pois “quem não sabe de onde vem também não sabe por onde vai”.
Sublinhou que a obra trata de um processo trajectória sobre o surgimento das instituições privadas de ensino em Angola e em particular a Católica, fruto de um trabalho titânico.
Realçou que na presente era da globalização e das tecnologias de informação a literatura assume cada vez mais um papel e lugar chave, pelo facto de despertar maior interesse no seio classe intelectual, de modo a permitir que se tenha cada vez mais no país, homens e mulheres capazes de interpretarem correctamente os anseios e aspirações culturais do povo angolano rumo ao progresso e o bem-estar de todos.
A reitora da Universidade Católica de Angola, Maria Irene Miguel, presente no acto, sublinhou que o livro faz parte de um projecto que acaba de ser concretizado e que foi sempre o desejo da instituição ver retratado de forma histórica todos os aspectos relacionados com a sua fundação, enquanto instituição do ensino superior.
Neste particular a responsável começou por destacar as figuras que estiveram envolvidos directamente no projecto como por exemplo o arcebispo
Dom Damião Franklin um dos arquitectos do projecto, aquém o autor dedicou uma merecida homenagem, para além do Papa João Paulo II, precursor da iniciativa, do arcebispo de Luanda, Filomeno Vieira Dias, entre outras figuras.
Das abordagens mais importantes está relacionada com a visita do Santo Padre João Paulo II, que durante a sua estadia em Angola em 1992, manifestara o desejo de ver materializada a fundação da Universidade Católica e a implementação de um sistema de ensino mais eficiente capaz de dar resposta os grandes desafios do país e que a universidade seria umas das apostas na formação dos cidadãos.
É precisamente em 1992, que é fundada a Universidade Católica de Angola, traves do decreto nº 38-A de 7 de Agosto que concede a Conferencia Episcopal de Angola e São Tomé, a autorização sobre a criação de condições e consequentemente a fundação.
Lembrar que a nova obra do padre Apolinário Hinamushinda comporta dois volumes e um total 650 páginas, 12 capítulos ao longo dos quais o autor faz a alusão de todo o processo histórico da universidade.
De acordo com a reitora da Universidade Católica, Dom Damião Franklin foi na altura coordenador da comissão instaladora que durante um ano trabalhou afincadamente para que o objectivo da criação fosse uma realidade.
Deste modo, o autor também atribui Dom Franklin um papel central e considera-o como homem de cultura, grande mestre, professor, pai, homem invulgar e de paz.
A obra destaca por outro lado a biografia de figuras como cardeal Alexandre do nascimento pelo contributo dado no fortalecimento da Igreja Católica em particular a criação da universidade em especial.
Apelou os homens de cultura e de letra a apostarem seriamente na investigação científica a traves da elaboração de obras literárias, tendo por base o interesse manifestado pelos jovens leitores.
O bispo da Diocese de Ondjiva, D. Pio Hipunhaty, considerou a obra como prestimoso contributo de um jovem que quer tornar cada vez emancipada a cultura dos povos sobretudo da região a que pertence já que um povo sem cultura é um povo sem norte.
Disse que o exemplo do padre Apolinário deve ser seguido por demais jovens e todos aqueles que são verdadeiramente homens de cultura tendo em atenção que a cultura une os povos e fortalece a Nação.

Perfil do autor

Apolinário Hinamushinda nasceu a 12 de Agosto de 1968 em Oshivambi, comuna da Mongua, município do Cuanhama, província do Cunene.
Fez os estudos primários e secundários na província do Cunene e da Huila, bacharel em filosofia pelo seminário Leonardo Sikufinde no Lubango e em Roma.
É mestre em teologia sistemática pelo pontificado Colégio Urbaniana, graduado em sociologia pela Universidade Católica e contabilidade e finanças pela Universidade Católica em Roma.
Aos 12 de Setembro de 2002, foi ordenado a sacerdote na missão Católica de Omupanda pelo bispo emérito da Diocese de Ondjiva, D. Fernando Guimarães Kevanu.
Exerceu as funções de assistente da comunidade estudantil lusófona de University, em Windhoek, República da Namíbia.
Em 2012 foi nomeado pelo dom Damião Franklin vigário pastoral da paróquia da Sagrada Família em Luanda. É docente da Universidade Católica de Angola.
Actualmente exerce o cargo de chefe do gabinete de desenvolvimento e cooperação institucional da Universidade Católica e professor do Seminário Maior de Luanda.

Comentários

Newsletter


Colabore com o Jornal Cultura - Envie-nos os artigos da sua autoria.

Colaboradores Ver todos