Literatura angolana no sistema escolar

Envie este artigo por email

Maka à quarta-feira na UEA

Literatura angolana no sistema escolar
Público presente Fotografia: Paulino Damião

A União dos Escritores Angolanos organizou mais uma Maka à Quarta-feira no dia 27 de Julho, na sua sede com o tema Literatura Angolana no Sistema Escolar.
A Maka levou os participantes a uma reflexão sobre a importância da literatura no currículo escolar, questão inquestionável. “Por esta razão, uma atenção especial na definição do cânone literário seria de extrema valia, por um lado e, por outro lado, o desenvolvimento de métodos apropriados de se explorar o texto literário dentro e fora da sala de aula são de se promover”, explicou a prelectora, Paula Henriques, funcionária do Ministério da Educação, onde exerce a função de Coordenadora da Comissão Nacional do Instituto Internacional da Língua Portuguesa e Coordenadora Técnica da Comissão Multissectorial para a Rectificação do Acordo Ortográfico.
Paula Henriques, que também é docente de técnicas de expressão em língua portuguesa no Instituto Superior de Relações Internacionais, abordou a questão da Presença da Literatura nos Programas do Ensino Primário; o Cânone Literário em Angola em Língua Portuguesa, como significado geral de regra, preceito ou norma e que no contexto literário se resume ao conjunto de livros considerados como referência, num país ou numa comunidade, de acordo com um determinado período.
Paula Henriques também inseriu na sua apresentação alguns Estudos em Curso sobre o Ensino da Literatura Angolana nas Escolas.
Quanto ao ensino primário, o Programa da 1ª Classe não faz referência a nenhum tipo de texto literário. Na 2ª Classe, o programa pressupõe a apresentação de pequenas histórias. Já na 3ª Classe, existe uma proposta de tipos de textos literários e não literários. Na 4ª, na 5ª, e na 6ª Classes, o que existem são meras propostas de tipos de textos literários e não literários; propostas de alguns exercícios práticos; e apenas uma proposta de exercício está exemplificada.
Em jeito de conclusão, a professora Paula Henriques, elencou as seguintes considerações finais:
- A literatura é ensinada nas escolas;
- Necessidade de se melhorar os métodos de ensino da literatura;
- A promoção de bibliotecas comunitárias contribuirá para a promoção da literatura;
- Urge estabelecer-se o cânone da literatura angolana;
- Urge estabelecer-se o Plano Nacional de Leitura;
-Urge estabelecer-se um Plano de Responsabilidade Social Comunitário, a nível d as instituições, com vista à construção e apetrechamento de bibliotecas;
- Urge comprometer a Família também nas acções de promoção da literatura;
- Estabelecer maior intercâmbio entre as instituições: Ministério da Educação, Ministério da Cultura, Comunicação Social e Família sobre o ensino da literatura.

Comentários

Newsletter


Colabore com o Jornal Cultura - Envie-nos os artigos da sua autoria.

Colaboradores Ver todos