Lusofonia: Vai "despedir" o pai antes de saíres, Zeca

Envie este artigo por email

Implacável com o erro, apresento-lhes nesta rubrica uma compilação de enunciados representativos do uso indevido que as pessoas fazem da língua portuguesa.

Praticamente ignorado pelos gramáticos anteriores ao século XIX, o … transformou-se num sério bico-de-obra, uma verdadeira maldição da língua portuguesa. A prová-lo, uma boa parte dos erros aqui apresentados incidem precisamente na ... Mas não só. Da pontuação àmorfo-sintaxe, passando pela propriedade lexical, nada escapa ao meu olhar clínico. No entanto, não me limito a vergastar os que dão “pontapés na gramática”. Dou-lhes as regras, não me coibindo de fazer, com o sentido de humor que me caracteriza, comentários impiedosos…
O leitor tem bons motivos seguir o itinerário proposto por mim neste espaço e entrar numa viagem ao âmago da língua portuguesa. Arrisca-se a aprender e a divertir-se. Há melhor programa?
Dia desses, estava eu no quintal de uma vizinha, aguardando que me trouxessem um copo de água. Irrompeu, então, porta adentro, a D. Amélia, que disse ao seu filho: «Vai “despedir” o pai antes de saíres, Zeca.O teu pai está na sala, Zeca!»
Ao ouvir aquilo, fiquei mais … da mãe que dofilho... Como, porém, se tratava de «dizer adeus a alguém», e não de «retirar alguém das funções que desempenha num serviço ou numa empresa», minha preocupação diminuiu sensivelmente... Precisei, todavia, pedir não mais um, mas dois copos de água...
Só muito depois vim a concluir que aquela desesperada mãe queria mandar o filho DESPEDIR-SE do filho do seu pai, o qual supunha estar a assistir ao jogo na sala...
Ora, sendo assim, resta perguntar e exigir uma resposta convincente: Se o Zeca despedir, isto é,retirar o SrA. B. das funções que desempenha na NOCAL, quem vai sustentar a casa?
Diz-se «despedir-se de alguém», no sentido de «dizer adeus a alguém».
«Despedir alguém» é o mesmo que «retirar alguém das funções que desempenha num serviço ou numa empresa». O seu marido pode estar desempregado, D. Amélia. Creia no que lhe digo.

Comentários

Newsletter


Colabore com o Jornal Cultura - Envie-nos os artigos da sua autoria.

Colaboradores Ver todos