SEMBA MADURO

Envie este artigo por email

Canta memória do Semba

Arte de Neves de Sousa

Semba maduro
Semba maduro

Canta memória cheia de estórias
Mil passadas escoltando pistas
Grilando grilos que colhem pólen
Soeira poeira abraço sem sêmen

De palmo e meio mamaram ontem
Ó mãe, adeus que foi não mais vem
Zé Povinho, vá e acorda o vizinho
Esta batucada já tem Joãozinho

Viola de caixa não baixa as tumbas
Choro do semba traz tristes alegrias
Ai amor, no coração tem percussão
Porque este semba está maduro

Vem pra pista, vem sembar
pé no chão desliza seguro
Larga, aperta e sinta o par
Este semba está maduro

Esta hora dikanza em casa
Puita a latir em salão seguro
Sangra reco-reco povo em festa
Este semba está maduro

Em cada canto a alegre nostalgia
Sai o canto, ó meu felino semba
Eco dos Ngola, ritmo tem magia
Lágrimas, doa amor dorda Lemba

Cada metro, o imo da saudade
Idade vencendo Angola avante
quebra o braço este batuque
compassa o passo, ó musseque

Viola de caixa não baixa as tumbas
Ai amor, no coração tem percussão
Porque este semba está maduro

Vem pra pista, vem sembar
pé no chão desliza seguro
Larga, aperta e sinta o par
Este semba está maduro

Esta hora dikanza em casa
Puita a latir em salão seguro
Sangra reco-reco povo em festa
Este semba está maduro
 
Com funge / Este semba está maduro
Com bessangana/ Este semba está maduro
Com mufete / Este semba está maduro
Com carnaval / Este semba está maduro;
Com kissangua / Este semba está maduro
Com feitiço / Este semba está maduro
Com muteta / Este semba está maduro
Com miengueleka / Este semba está maduro
Com cola e gengibre / Este semba está maduro
E com Mwangolé/ Este semba está maduro

E com Mwangolé/ Este semba está maduro
E com Mwangolé/ Este semba está maduro


Comentários

Newsletter


Colabore com o Jornal Cultura - Envie-nos os artigos da sua autoria.

Colaboradores Ver todos