Três autores em debate na Maka de 30 de Setembro na UEA

Envie este artigo por email

O autor vai analisar sintomas caracterizadores da paródia da história.

Três autores em debate na Maka de 30 de Setembro na UEA
União dos Escritores Angolanos Fotografia: Paulino Damião

A RECONSTRUÇÃO DO PROCESSO HISTÓRICO- SOCIAL ANGOLANO EM De Rios e Guerrilheiros-O Livro dos Rios, de Luandino Vieira, Noites de Vigília, de Boaventura Cardoso e O Reino das Casuarinas, de José Luís Mendonça é o título da palestra que Joaquim João Martinho, professor de Teoria da Literatura, vai introduzir no próximo dia 30 de Setembro de 2015, às 18 horas, na sede da UEA
O autor vai analisar sintomas caracterizadores da paródia da história, nas obras de Luandino Vieira, Boaventura Cardoso e José Luís Mendonça, com o propósito de reflectir como esses autores ficcionam a memória colectiva angolana e aferir de que contexto o lócus enunciativo emerge, uma vez que o recurso à história pode constituir uma forma de rebater a nação. Partindo dessa hipótese de que a escrita desses cultores se enquadra nesse ângulo, adoptou-se se um enquadramento metateorético comparativista, buscando a escrita literária como suporte mimético das obras em análise. Por outro lado, interrogar as causas pelas quais os autores constroem a tessitura literária calcada no processo histórico-social angolano.

Comentários

Newsletter


Colabore com o Jornal Cultura - Envie-nos os artigos da sua autoria.

Colaboradores Ver todos