Poemas de Sérgio Rodrigues

Envie este artigo por email

A Vida

Curta vida,
Curta jornada.

A vida é curta demais
Para se errar demais
E longa demais para não se aceitar os erros a mais.

O momento da felicidade é o momento da lembrança.

Lembremos!

A hora da paixão sempre é o momento de agora.

Vivamos!

Vivamos
À sombra da mulemba,
O calor do astro.

A vida é curta demais para se errar.

Aceitemos!

Aceitemos
A dor como dói,
O mal que nos corrói,
A força que nos constrói.

Aceitemos!

Aceitemos
A matéria do universo,
O verso do controverso,
O controverso do verso.

Vejamos!

Vejamos
A beleza que os olhos trazem.

Com o amor que a paixão
Leva ao coração
E a paixão
Que leva o amor do coração,
Iludimos a alma que deseja uma eterna canção.

Luanda, 10 de Agosto de 2010


A Luta do Bem Contra o Mal

Na luta entre o bem e o mal,
Quando conquista o bem,
O mal já não é mal
E se o inverso vem
Nem bem é bem também.
Pois o bem
Na ausência do mal não é normal.
A bondade do mal é o bem que traz,
A maldade do bem é o mal que faz.

Um é a existência do outro.
Tira-me o bem
E o mal bem será em dobro,
Tira-me o mal
E o bem mal fará em dobro.

É celestial a batalha,
É terrena a batalha,
É animal a batalha.
Mas o bem quer prevalecer
Na eterna luta que é fingida a valer.

Luanda, 15 de Dezembro de 2011



Um Amor Esquecido

Eu tenho um amor esquecido.
Amei um outro amor
Por isso esqueci-me de o amar;
Amar o amor
Que dá ao peito o ritmado som dum tambor.
E agora que eu me lembro,
Lembro-me que já não há amor.
O amor acabou
E só me resta a lembrança do sentimento que me esqueci de sentir.

Ah! Se eu me tivesse lembrado...

Se eu me tivesse lembrado
Não seria como o homem que, no escuro,
Com a vela acesa na mão,
Procura um pouco de luz
Sem nunca a encontrar.

Luanda, 6 de Janeiro de 2011



Lugar Nenhum

Em lugar nenhum
O tempo é nenhum,
O espaço é nenhum.
Quando lá estou,
Estou em tempo algum
Que passa sem ir nem vir.
E se o quando fosse mesmo agora?
Em lugar nenhum só há uma existência,
Que é a carência de existir.

Estou lá,
Lá onde vou
Mesmo sem lá chegar.
Em lugar nenhum
As tristezas são alegres
E as alegrias tristes.
Já lá estou.

Yeosu, 19 de Julho de 2012








Comentários

Newsletter


Colabore com o Jornal Cultura - Envie-nos os artigos da sua autoria.

Colaboradores Ver todos