Wa jibah oh lunhuki wendudia wemba [Provérbios kimbundu – português - II]

Envie este artigo por email

Wa jibah oh lunhuki wendudia wemba (Quem mata uma abelha é porque vai comer mel; se matares o teu pai nunca mais vais ter pai)
Kiadi kidibeta tatu u wanuna (Dois lutam e o terceiro acode)
Kwsseuka kua ymbia ya lata ki wi katula a jiku yatule o kusseuka
(O ferver de uma panela de lata, quando tirar do fogo para de ferver; a verdade deve ser dita no momento certo)
Meiah a kulundula kia zala mbinda (A cabaça cheia de água se despejar na outra esta já não enche; coisa de mandar nunca chega completa)
Heie uzuela ngombe ni yfu (Tu que podes falar para matar o boi; só tu podes determinar a solução do problema)
Nzaji ni yadi un’xii kia u vutukile dingi (Se a faísca atingir uma árvore já não repete nela; o problema não se resolve por duas vezes)
Kia mateka ni kutota kiuah ni kutota(O que começou mal sempre termina mal)
Kuala ni akwa lunga ni akua tambi(Tem as pessoas que assistem ao óbito e os que têm o óbito; há pessoas que arranjam problemas e os que resolvem os problemas)
Kuiza oh nvula kuiza oh kixibu kulunguluke (Venha a chuva, venha o cacimbo, há sempre mudanças; as pessoas já voltam para trás, sempre para a frente)
Wenda kabekelake u mona kiandia kia njimbula kikimoneka (Quem anda sozinho vê o que o mata, não tem quem vai transmitir a sua morte; uma pessoa
quando está a fazer uma viagem deve ter um acompanhante)
A kubana oh kutala a kubana kudia (Quem te dá um animal para esfolar te deu comida; a pessoa que te dá trabalho é porque gosta de ti)
A kubana o kussukula a kubana kuzela
(Quem te deu para lavar deu-te para ficar limpo; aquele que te deu para guardar algo, é porque tu também vais beneficiar do mesmo)
Mona nhoca ni muene nhoca(O filho de cobra também é cobra; o filho do teu inimigo também é inimigo)

Comentários

Newsletter


Colabore com o Jornal Cultura - Envie-nos os artigos da sua autoria.

Colaboradores Ver todos