Símbolo da crença na espiritualização sustenta mito da criação na Lunda-Sul Muquixi

Envie este artigo por email

Na cultura Lunda-Tchokwe, Muquixi simboliza autoridade, com poderes para impor medo e ordem dentro da sociedade Txikunza, criada a partir da Mucanda, que é uma instituição versada em rituais de circuncisão masculina. “É figura altamente respeitada e exerce, entre outras funções sociais, as de mensageiro junto das comunidades nas festas da Mukanda (circuncisão), rituais da puberdade, caça, pesca e no exercício do feitiço”.

Muquixi
O Txindombe é um exímio protagonista de cenas e movimentos. Durante a dança desperta a curiosidade feminina, exibindo de forma alternada o órgão genital masculino, duplo, esculpido em madeira e pintado com alcatrão, resguardado entre as pernas e orientado em sentidos opostos para transparecer a imagem ilusória de "super-homem".

Poder da magia

Segundo a fonte, exercitam o poder sobrenatural. Em função da linhagem e extrato linguístico, a designação comum entre os Lunda-Tchokwe, Nhanecas, Txinhamas e Sangos é Muakalanga ou Txikunza, um palhaço mágico, que voa em vez de andar e age à base do sacrifício humano.

É dos muquixi mais temidos e normalmente exerce o papel de emissário entre reis. Qualquer comunicação sobre os objetivos que norteiam a sua deslocação "antecede a degolação de um escravo dado como oferta ao Txikunza", uma figura com características que indiciam alguma anormalidade.
Na lista de mascarados da classe real, dentro das etnias LundaTchokwe, o Muakalanga, também conhecido por rei dos muquíxi, viaja uma vez em cada cinco anos.

Os rituais mágicos abarcam uma instituição superior à qual "o conhecimento é reservado. Age como um colégio de médicos ou ordem de engenheiros. A execução de rituais pressupõe também especialistas com perícia reconhecida para intervir com competência, mas existe uma instituição superior à Mukanda para os homens e Kafundeji para as mulheres, representados pelas instituições Txiwimbe e Mungonge, respectivamente.

Mulheres no Mungonge e homens no Txiwimbe

As práticas ocultas realizadas por mulheres no Mungonge suplantam a inteligência dos homens ao resolverem enigmas atemos então tidos por impossíveis no Txiwimbe, instituição tradicional reservada exclusivamente aos homens para investigação e prática de magia.

Numa tentativa de contrapor o protagonismo das mulheres, os novos proprietários da instituição (Mungonge) criaram uma vestimenta tricotada, ligada a uma máscara para a cabeça com que vestiram um homem, a quem chamaram de muquixi. O mito sobre o suposto " espírito com formato de um homem que caminha, dança, mas não fala, ditou o medo e o respeito, traduzidos na fuga dos assistentes quando se aproxima". Esta criação ajudou a cimentar o "eterno orgulho dos homens".

Versão do Rei Lunda-Tchokwe

A etapa da circuncisão masculina na cultura Lunda-Tchokwe, propicia o aparecimento do Muquixi ,"personagem escavado durante um ritual secreto, apenas dominado por homens". Em termos de impacto, a lista avançada pelo soberano destaca o Katfa, Txikunza, Kalelua e Mbomba, mas nota que o Mwana-pwô "foi criado mais por uma questão de fama e solidariedade com as mulheres".

Por ordem de importância, o Txitetela e o Ikungo dominam várias especialidades. Constata o desaparecimento de valores por falta de exercitação, o que, em seu entender, sugere dos agentes esforços para resgatar o essencial da cultura para deixar um legado às gerações vindouras.


Comentários

Newsletter


Colabore com o Jornal Cultura - Envie-nos os artigos da sua autoria.

Colaboradores Ver todos